Portal TRF5 - Imprensa
  • SIC – Serviço de Informação ao Cidadão
  • NAS divulga campanha da OMS para marcar o Dia Mundial da Saúde Mental
    Última atualização: 09/10/2020 às 14:05:00



    Amanhã (10), será comemorado o Dia Mundial da Saúde Mental. Este ano, a data será marcada pela campanha Movimente-se pela saúde mental: vamos investir, uma iniciativa da Organização Mundial de Saúde (OMS), com o objetivo de incentivar ações de investimento em saúde mental em escala global. O Núcleo de Assistência à Saúde (NAS) do Tribunal Regional Federal da 5ª Região – TRF5 chama a atenção para a importância da campanha já que, no Brasil, o aumento dos casos de transtornos mentais tem causado significativo prejuízo à saúde e à produtividade, inclusive, do corpo funcional do Poder Judiciário.  

    De acordo com a OMS, a saúde mental é uma das áreas mais negligenciadas da saúde pública em todo o mundo, e o acesso dos portadores de transtornos mentais a cuidados especializados de boa qualidade é bastante limitado. O problema é antigo e foi agravado pela pandemia da COVID-19, com a interrupção de muitos serviços existentes. Recentemente, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhamom Ghebreyesus, declarou que “a campanha é uma oportunidade para o mundo se unir e começar a reparar a negligência histórica em relação à saúde mental”.

    No Brasil, a crise sanitária agravou os casos de ansiedade e de depressão e é esperado um aumento de ocorrência de transtornos psíquicos, conforme declarações feitas no 3º Seminário sobre a Saúde dos Magistrados e Servidores do Poder Judiciário. O evento ocorreu no último mês de agosto e foi promovido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por meio do Comitê Gestor Nacional de Atenção Integral à Saúde dos Magistrados e Servidores do Poder Judiciário. Na ocasião, foram apresentados os resultados da pesquisa nacional sobre a saúde mental de magistrados e servidores no contexto da pandemia da Covid-19. 

    O estudo constatou que 47% dos trabalhadores do Poder Judiciário declararam estar mais cansados do que antes da quarentena; 42,3% tiveram piora do humor e 48% tiveram alterações na rotina do sono.  Dentre os sentimentos mais intensos identificados neste grupo, o medo é o de maior relevância, atingindo um percentual de 50%.

    ​Tal como a OMS, o CNJ está atento ao aumento dos casos de transtornos mentais, consciente dos prejuízos que esse fenômeno provoca, e recomenda, dentro do possível, mais investimentos em ações específicas de prevenção.


    Por: Divisão de Comunicação Social do TRF5 - comunicacaosocial@trf5.jus.br





    Mapa do site