Portal TRF5 - Imprensa
  • SIC – Serviço de Informação ao Cidadão
  • Aposentadoria: Lázaro Guimarães é homenageado em sua última participação no Pleno do TRF5
    Última atualização: 13/01/2021 às 20:08:00



    O desembargador federal Lázaro Guimarães foi homenageado pelos seus pares, em sua última participação em sessão do Pleno do Tribunal Regional Federal da 5ª Região – TRF5, nesta quarta-feira (13/01). O decano do TRF5 vai se aposentar no próximo dia 7 de fevereiro, após 31 anos de serviços prestados à Justiça Federal. Antes, o magistrado ainda participa de uma sessão de julgamento da Quarta Turma, no próximo dia 26 de janeiro. A despedida no Plenário foi marcada por elogios a Guimarães.

    O desembargador federal Paulo Roberto de Oliveira Lima foi o primeiro a falar, afirmando que não acataria o pedido feito pelo próprio Guimarães para que não houvesse homenagens. “Seria injusto e covarde deixá-lo partir sem nenhuma palavra. Conheço o pedido, mas vou ter a ousadia de não obedecê-lo. Lázaro Guimarães dedicou 31 anos à Justiça Federal, uma vida! Tamanha longevidade na Justiça brasileira não há. Pelo menos, eu desconheço. Para mim, que ingressei na magistratura com a inauguração deste TRF5, sua presença é algo indissociável da imagem da Justiça Federal da 5ª Região e deste Tribunal. Não estou feliz com sua partida. Sentirei muita falta da galhardia, fidalguia e amizade que definem o desembargador federal Lázaro Guimarães. Ele encerra suas atividades com a certeza do dever cumprido de forma imaculada. Muito obrigado por tudo e pela amizade que construímos nesse tempo. Isso não é um adeus, é um até logo”.

    Manoel Erhardt também enalteceu as qualidades do magistrado e professor universitário Lázaro Guimarães. “Sua gentileza e cordialidade marcam sua personalidade. É respeitado por seus conhecimentos jurídicos e literários. É querido pela magistratura, pelos servidores da Corte e também pelos seus alunos. Vamos sentir muita falta do nosso decano e fundador do TRF5”.

    Edilson Nobre recordou que o desembargador Lázaro já era um exemplo a ser seguido quando ele prestava concurso para o cargo de juiz federal da 5ª Região. “Ele foi examinador do meu concurso. Na judicatura, sempre o tive como referência. Uma pessoa de conhecimento jurídico e literário profundo”.

    Fernando Braga lembrou que, quando ele ingressou na magistratura, ainda jovem, o desembargador Lázaro já ocupava a Presidência do TRF5. “Para um garoto, era um ser mitológico e inatingível. Com o tempo, aquele ser distante tornou-se um amigo, sempre gentil e humilde”.

    Roberto Machado, por sua vez, recitou versos da canção “Despedida”, de Roberto Carlos, e elogiou a trajetória do colega que ora se despede. “Com o passar dos anos, vejo no Lázaro uma carreira irretocável. Como já afirmaram meus colegas, essa despedida não é um adeus. É um até logo”, garantiu.

    Paulo Cordeiro fez questão de falar da tranquilidade do seu conterrâneo (ambos são naturais da Bahia). “Os baianos são agitados, mas Lázaro é um baiano tranquilo. Nesses anos todos de amizade e convivência, nunca o vi aborrecido. Tudo o que foi dito anteriormente, eu endosso. Termino essa homenagem com um o abraço demorado na esperança de mantê-lo em nosso convívio”, disse.

    Cid Marconi rememorou que se tornou amigo de Guimarães na época em que ingressou no TRF5, por meio do Quinto Constitucional. “Concordo com tudo que meus colegas já afirmaram. Ressalto ainda que ele é um grande torcedor do Bahia, um bom violonista, compositor e gosta de cantar. Sua carreira de mais de 30 anos ainda incluiu a passagem como ministro no Superior Tribunal de Justiça (STJ)”, apontou, ressaltando o período em que o desembargador Lázaro atuou como convocado naquela Corte.

    Carlos Rebêlo sublinhou o lado professor de direito do colega. “As manifestações anteriores definem bem a vida do magistrado Lázaro. Quando atuamos na Escola da Magistratura, pude observar a dedicação com que ele se entrega à tarefa de transmitir o que sabe aos alunos, assim como testemunhei a importância da esposa, dona Gil, e da família, para ele”.

    Rubens Canuto citou que o desembargador Lázaro ainda teria muito a contribuir com o Judiciário. “Nos julgamentos, sempre é eficiente e faz apontamentos pertinentes à matéria em debate. Ele também contraria o senso comum de que pessoas com mais idade não sabem lidar com tecnologia. Lázaro manipula smartphones, tablets e computadores como ninguém. Procurei diversas vezes ouvir seus conselhos para aprimorar nossa experiência com o PJe”, informou.

    Alexandre Luna enfatizou a estima que todos têm pelo decano do TRF5. “Gostaríamos que ele ficasse mais um pouco conosco. Sentiremos falta da sua presença diária cordial, conciliadora, fonte e sede de saber jurídico”, declarou Luna.

    Élio Siqueira lembrou a época em que participou de mutirões da Justiça Federal, ainda como juiz. “O desembargador Lázaro chegou a ceder servidores do seu próprio Gabinete para nos ajudar. Por sua sensibilidade, serenidade, dinamismo e profunda dedicação ao trabalho, é admirado pela magistratura da Justiça Federal da 5ª Região”.

    Leonardo Carvalho falou do início da sua carreira como desembargador federal no TRF5, após ser nomeado pelo Quinto Constitucional. “O desembargador Lázaro é jornalista. Eu cheguei aqui como um foca, termo que é usado para os novos profissionais de comunicação. Fui acolhido pelo desembargador Lázaro como um filho. Ele, já experiente, me deu vários conselhos e orientações. É com felicidade que anuncio que lançaremos uma Revista de Jurisprudência dedicada ao nosso decano, no dia 1º de março de 2021”. Carvalho ainda leu uma mensagem encaminhada pelo ministro do STJ e ex-presidente do TRF5, Marcelo Navarro.

    Representando o desembargador federal Rogério Fialho, o desembargador federal convocado Luiz Bispo ressaltou a importância do desembargador Lázaro para os magistrados da 5ª Região. “Meu primeiro contato com ele foi como estagiário de Direito na Justiça Federal; já era referência para todos os magistrados, à época. Diante de todos esses depoimentos, fica claro que não é possível dissociar o magistrado do homem público que é o desembargador Lázaro”, destacou.

    O presidente do TRF5, desembargador federal Vladimir Carvalho, relatou histórias de convivência com Lázaro, desde quando ainda eram juízes. “Se escrever uma biografia no futuro, teria momentos especiais para falar do desembargador Lázaro. Sua convicção diante de alguns temas mostra como ele é educado e tranquilo, porque mesmo quando todos discordam, Lázaro não perde a calma e mantém o voto. Desejo que você mantenha essa alegria de viver, torcendo pelo Bahia, devidamente vestido com a camisa do time, bermuda e chinelo”, brincou.

    Vladimir Carvalho ainda registrou homenagens prestadas pelo Ministério Público Federal, representado na sessão pelo procurador regional da República Duciran Farena. “Associamos-nos, em nome de toda a PRR-5, a tão merecida homenagem. Sem dúvida, farão uma falta enorme a simpatia marcante, o vasto saber jurídico e o senso de justiça do desembargador Lázaro. Agora, ele segue novos caminhos, que temos a certeza que serão de alegrias múltiplas e bonança, com todas as qualidades do desembargador que conhecemos e aprendemos a admirar”.

    Por fim, o desembargador federal Lázaro Guimarães agradeceu a homenagem dos colegas,  lembrando sua trajetória na Justiça Federal da 5ª Região. “Chequei aqui em Pernambuco no dia 30 de março de 1989. Encontrei um tribunal em construção. Foi muito importante para minha carreira participar desse momento. Deixo o Tribunal hoje não só com o sentimento de dever cumprido, mas com um amigo em cada colega. Os amigos que fazemos ao longo da vida são tesouros. Sinto-me muito feliz nesse momento. Nessa jornada, contei com a ajuda muito importante da equipe que formei em meu Gabinete e dos colegas, juízes e desembargadores desta 5ª Região. Minha eterna gratidão a todos”.



    Por: Divisão de Comunicação Social do TRF5





    Mapa do site